Arquivo para categoria Brasileira

E o La Mole continua bom

Eis uma sugestão de almoço BBB no Leblon. O La Mole serve pratos a la carte e todos os dias tem pratos executivos “do dia” mais baratos. Esta

quinta-feira fui lá e pedi uma das opções do dia – carne seca, couve, abóbora, arroz e tutu de feijão. Quase tudo muito bom. Só o tutu era meio estranho, mais para um creme de feijão e bem líquido. Bem longe do tutu a que estou acostumado, com pedaços de feijão e mais seco. Segundo a Becky, é normal no Rio.

O restaurante é bem pequeno e aconchegante. O atendimento foi impecável, sem reclamações. Descobri depois que pesquisei mais na Internet que o restaurante é na verdade uma filial de uma cademia de 15 casas! E o primeiro foi aberto em 1958! Parece que eles descobriram a fórmula do sucesso e longevidade. E não é tão difícil, não? Bom, bonito e barato. Não costuma ter erro. Leia aqui a íntegra da história. O almoço executivo custou cerca de R$23.

Endereço: R. Dias Ferreira, 147 – Leblon – Tel: 21 3460 0800

, , , ,

1 comentário

Bartolomeu? Bartodomeu? Barthodomeu!

Pessoal, voltei! (Apesar de temporariamente) Agora na versão carioca!! Pois é, vou tentar trazer algumas dicas do Rio pelo tempo que estiver por aqui. Espero que seja útil para quem for visitar o Rio.

A primeira dica é o Barthodomeu (um bar todo seu), que fica exatamente em frente do tradicionalíssimo Bar Empório. Inclusive, como o maitre do Empório faleceu esses dias, ontem a rua ficou quase intransitável, tamanha a multidão que se formou em frente ao bar.

O Barthodomeu é ótimo para sentar, tomar um chopp, petiscar e jogar conversa fora. A decoração é toda em madeira, com muitas mesas na calçada e ambiente interno bem aberto. A casa tem uma ampla seleção de petiscos, caldinhos, sanduíches e pratos. Por sugestão do Rodrigo (habitué da casa), pedi o escondido de camarão. Vem com bastante camarão, acompanhado de torradinhas, bem diferente, mas achei ele um pouco sem sabor, sem graça. No geral a galera adora. Recomendo o sanduíche de filé com cebolas caramelizadas.

Escondido de Camarão

O bom mesmo da casa é o almoço. Escolhe-se uma carne (em torno de R$20) e os acompanhamentos pede-se a vontade! Arroz com brócolis, feijão, batata, diversas saladas, farofa de alho, farofa de ovos, creme de espinafre, creme de milho, ovos fritos, nhoque ao alho, nhoque a bolonhesa etc etc. Sempre saio rolando de lá. Sugiro o filé mignon à parmegiana.

Filé a parmegiana

Conta do happy hour: R$50, includindo escondido de camarão e algumas cervejas – caro, mas é difícil pagar menos em Ipanema.
Conta do almoço: R$26, incluindo filé de parmegiana e bebida – barato para o bairro e come-se como um rei.

Endereço:  Rua Maria Quitéria, 46 – Ipanema – (21) 2247-8609

, , ,

1 comentário

Voltando… com o Vila das Meninas!

Depois de um breve sumiço, volto para escrever sobre o Vila das Meninas. Se não fosse pelo Gastrolândia, dificilmente iria conhecer o lugar, já que fica escondidinho em um bairro que pouco visito.
A entrada é bem agradável, um longo corredor que leva a um restaurante fofo.
Tudo é muito bem cuidado. Da decoração da mesa à água e entradinha cortesias (chamada de mimo!). Na noite em que fui, era filé mignon sobre cogumelos. Uma delícia.
A comida demora um pouco para chegar. Se quiser, aproveite e peça uma das entradinhas. Fomos de Pastel de Angu. Super sequinho, crocante e gostoso. 
O atendimento é mega simpático, do começo ao fim da refeição. É um clima tão acolhedor que vc tem a impressão de estar jantando na casa de amigos. O lugar é apertadinho, bom para conversar. As mesas são próximas, mas a conversa da mesa alheia não invade a sua.
Pedi o Peixe ao forno com banana e adorei. O prato chega pelando, com o peixe gratinado. É uma mistura boa de sabores. Leite de coco, banana, molho de tomate.
Daí, vc pensa, lugar meigo, de menininha… vou passar fome, né? Que nada! Achei tudo muito bem servido!
De sobremesa, dividimos o Surpresa de brigadeiro. São várias surpresinhas (frutas, castanhas etc) que podem ser mergulhadas em um montão de brigadeiro. Achei bem doce e as frutinhas poderiam ser cortadas em tamanho maior, mesmo assim era impossível parar de comer.
Fiz reserva, então não tive que esperar por mesa, mas a casa enche rapidamente (pelo menos a noite).
Gostei de verdade. Saí de lá já pensando na próxima visita e o que eu iria pedir, hehe.
Valor da conta: aproximadamente R$ 70 por pessoa, com entrada, prato principal, bebida, sobremesa e café (estávamos em 3).

Vila das MeninasR. Padre Carvalho, 139 – Pinheiros

, , ,

3 Comentários

Dicas de Costela 2 – Atoladinha do Graça Mineira

Hoje eis que voltei ao Graça Mineira, dois anos depois da primeira visita. Dessa vez eu estava acompanhado de um mineiro, ou seja, tinha intérprete pra conversar com o garçom. Cheguei às 14h com o restaurante abarrotado. Mas a espera não durou mais do que 15 minutos e sempre tem um garçom à disposição na porta para servir o esquenta.

Pedimos, para duas pessoas, a famosa vaca atolada, dica de várias pessoas. Costela de boi ensopada com mandioca, acompanhada de couve e arroz. A costela estava ótima, o ensopado dá um sabor especial e tira completamente a secura que às vezes acompanha as costelas. A couve estava ótima – ao ponto. O prato dá tranquilamente pra 3 pessoas, no final sobrou um bom tanto de comida. Mas quase que faltou arroz. Espero que sirvam mais no caso de mais gente. Pedimos também uma porção de torresmo de entrada. Bem sei que não deveria comer, mas é absolutamente irresistível (veja a foto).

O atendimento foi eficiente, apesar da quantidade de pessoas. Dessa vez fiquei no andar de cima, que é legal, mas um pouco apertado. O lugar todo é um casarão reformado que virou restaurante.

Total da conta, com algumas cervejas e café, deu R$96. Foi bem mais do que a última vez, mas tem que ver que comemos absurdamente e sobrou. A dica é ir em grupos de no mínimo três pessoas. Agora, já é quase meia-noite e ainda tou digerindo o almoço. A dica dos mineiros é comer em dias frios!

Endereço: Rua Machado Bitencourt, 75 – Vila Mariana – Tel: 5579-9686

Mais costela:
Dicas de Costela 1 – Bar do Sacha
Picanha do Gaúcho: Botecão lá do interiorr da Zona Norte
Happy Hour da Maçã-abelha

, , , , ,

9 Comentários

Fuja do frio: buffet de sopas do Família Mineira

Toda vez que o frio chega é a mesma coisa: fico na nóia de sopa. Só que ir a um restaurante para tomar UMA sopa não rola. E se eu vir outras coisas no cardápio, vou desencanar dela. Então, saio em busca de buffets pela cidade.
Até então, só conhecia o da Dona Deôla, até ler sobre o I Festival de Sopas do Família Mineira
Nas noites de quinta a sábado, das 20h as 24h, a casa serve 11 tipos de sopas + acompanhamentos + sobremesa por R$ 25,00.
Dessa vez, tinha caldo verde (engrossado com batata, ótimo!), caldinho de feijão (bom), mandioquinha com carne seca (faltou sal), sopa de ervilha com linguiça (muito boa), canja de galinha, sopa de alho poró e mais outros sabores que não experimentei.
Para acompanhar, torresminho, bacon, alho, cebolinha, cheiro verde, pimenta e… CUSCUZ. Nossa, sério, do festival inteiro, o que mais gostei foi do cuscuz de carne seca. Incrível! Bem molhadinho, muita carne desfiada, ótimo tempero. Perfeitão.
De sobremesa, tinha CANJICA com amendoim!! Depois dessa, o lugar me ganhou né? Só que achei o caldo meio ralo. Tinha que ser mais cremOuso e gordo.
O lugar é pequeno, aconchegante, de estilo rústico, com bastante detalhe em madeira. O atendimento é ótimo, muito cordial e atencioso!
Aprovadíssimo. Gostei bastante e recomendo pra todo mundo que curte uma sopinha (ou várias).

Família MineiraR. Manuel Guedes, 436 – Itaim

Mais comidinhas para espantar o frio:
Sukiyaki do Sukiyaki House
Fondue no Platz e no BarBolla
Hot pot do China Lake
Lamen do Lamen Kazu

, , , , , , , , , ,

12 Comentários

Missão cumprida: conheci o acarajé!

Nesse calor infernal, nada mais apropriado do que comer… comida baiana! Sim, suicídio, mas há tempos queria experimentar o tal do acarajé, daí surgiu a oportunidade e fui.
O lugar sugerido pela Lu foi o Rota do Acarajé, um restaurante bem informal e descontraído, mais pra botecão mesmo.
Para começar, claro, pedimos o acarajé tradicional (para comer com a mão): bolinho frito de feijão fradinho recheado de vatapá, caruru, saladinha e camarões secos (R$ 9,00). Para completar, o pessoal ainda pediu escondidinho de carne seca (R$ 43,00, serve umas 3 pessoas), porção de mandioca frita (R$ 19,00) e eu pedi um cuscuz de camarão (R$ 12,40).
Não gostei muito do acarajé. Curti o bolinho (bem crocante), mas achei tudo meio sem gosto. Estava esperando algo forte, ardido, cheio de sabooor, mas não. Sei lá, acho que o tempero (no caso, a pimenta) fica por conta do freguês mesmo. Bom, o Arnaldo adorooou.
Gostei bastante do escondidinho. Bem servido, muita carne seca, muito purê e queijo. Boa pedida! A porção de mandioca tb estava gostosa, já o cuscuz estava meio sem sal.
O atendimento é bom e simpático!
Resumindo, não acertei muito nas minhas escolhas (e não desisto do acarajé, quero experimentá-lo em outros lugares), mas voltaria ao Rota para pedir as moquecas. Fiquei na nóia! Bom, fica para uma próxima vez!

Rota do AcarajéR. Martim Francisco – Santa Cecília

Mais cozinha brasileira:
Água Doce Cachaçaria, pinga nim mim… NOT
Rabada nas férias
Cozinha pernambucana moderna
Made in Brazil

, , , ,

8 Comentários

Restaurante Chacrinha no Guarujá

No feriado do aniversário de SP fomos pro Guarujento. E mesmo com medo da contaminação maluca que assola a cidade, somos gordos corajosos e fomos comer fora.

O escolhido foi o Restaurante Chacrinha que fica na rua da praia, entre o Casa Grande e a Brunella. Eu não sei se é novo, mas eu nunca tinha reparado nesse restaurante. Ele é bem bonitinho, um rústico arrumadinho. Possui uma area externa e outra interna com ar-condicionado. Como ar condicionado na praia é vida, ficamos lá dentro mesmo.

Mortos de fome, pedimos de entrada casquinha de siri. Custava R$ 12,00 e não tinha nada demais. Não foi o melhor nem o pior que já comi.

De prato principal, pedimos um com molho de camarão e uma moqueca de camarão. Estávamos em 5 pessoas e serviu bem. O peixe era carnudinho e saboroso. E o camarão da moqueca estava gordinho e fresco. Única coisa que decepcionou foi o pirão, que estava com gosto de nada.

Na verdade não tem nada de emocioanente o restaurante. É uma opção boa e bonitinha, que não custa os zóio da cara. O ruim é que eles cobram couvert. E eu odeio alguem cantando na minha orelha enquanto como. Valor final por cabeça: R$ 55,00.

Endereço: Av. Miguel Stefano, 2.635 – Enseada – Guarujá (Estacionamento conveniado ao lado: R$ 5,00)

Mais restaurantes do Guarujá:

Dalmo Bárbaro: frutos do mar bem servidos
Rufino’s no Guaru

, , , , ,

6 Comentários

%d blogueiros gostam disto: