Arquivo para categoria Francesa

Paris 6: Bistrô dos ricos e famosos

Vocês já devem ter ouvido falar do Paris 6. Bistrôzinho fofo/descoladex, com decoração que reproduz um pedacinho do charme de Paris (Pelo menos o que imagino que seja), no meio do agito do Jardins. Bastante frequentado por riquinhos e famosos, tanto que até no cardápio, os pratos levam nomes de artistas “pop” atuais. Ideal para ir com poucos amigos, ou de casal.

Dispensamos couvert e entradas e fomos direto pro prato principal.
Eu, que tenho uma obsessão por comida crua, não posso ver no cardápio um steak tartare e não pedir. Só que dessa vez pedi um que era selado, não totalmente cru, acompanhado de batatas fritas. Achei o sabor bom, melhor do que o que provei no Le Jazz, mas ainda prefiro a versão “não-selada”. E quer saber? Sempre acho pouca comida. Não tem jeito, sempre peço essas comidinhas sem “sustânça” e fico com fome!

A Jussa pediu um prato com carne e batata gratinada, que também não tinha nada de especial. Tanto que ela nem lembra mais disso!

De sobremesa, fomos de suflê e torta de chocolate. A torta era tão doce, que dava dor de cabeça. Para quem é muito chocólatra, seria sensacional. Pra mim, foi quase sofrido.

Como a casa é 24 horas, dá pra passar lá e matar a fome pós-balada. Se bem que no meu caso, não existe nada melhor do que um Mc Donald’s na madrugada. Jamais conseguiria descer um steak tartare pós-alcool!

Preços:
Refrigerantes por volta de R$ 6,00
Pratos por volta de R$ 45,00
Sobremesas por volta de R$19:00

Qto deu por cabeça? R$ 80,00.

Bottom line; O lugar é simpático e gostosinho, mas acho que não vale o preço.

Ps: As fotos estavam tão péssimas, que resolvi nem postar. Lugar escuro + camera de celular = FAIL.

Outros bistrôs:

Le French Bazar
L’Entrecôte de Ma Tante
Robin des Bois

Anúncios

, ,

5 Comentários

Sopa de cebola do Ceagesp

Quer uma opção boa, barata e histórica para enfrentar o frio?
Experimente a sopa de cebola do Ceagesp (antigo Ceasa).
Por R$ 15,00, vc aquece e enche a barriga com couvert honesto (pães italianos e berinjela) e uma ótima sopa. Aliás, quando vi a cumbuca, achei que seria pouco, mas não. A sopa é bem espessa, cheeeia de cebola e o recipiente é fundo! Ainda vem com uma fatia de pão italiano boiando e bastante queijo ralado e bacon! O melhor é o começo da sopa, com concentração de queijo que começa a derreter e a puxar.
Não espere um ambiente lindo e gracioso, afinal, vc está no Ceasa. Na noite que fomos, havia música ao vivo (couvert artístico opcional de R$ 3,00).
Adorei o antepasto de berinjela. É bem temperado, ardidinho. Uma delícia mesmo. Vi também uns tomates assados recheados de parmesão que pareciam ótimos, mas fica pra próxima.
O cara que nos atendeu era meio lesado. Tivemos que cobrar pelo couvert várias vezes, mas blz, não estragou a noite que, por sinal, estava bem fria.
Aproveite! A sopa de cebola será servida até 30/09/2010. E olha que legal, o restaurante fica aberto até de madrugada, quase todos os dias!

Veja informações sobre o serviço.

Ceagesp Av. Gastão Vidigal, 1946 – portão 3 – V. Leopoldina

Mande o frio embora!
Hot Pot no China Grill
Bufet de sopas no Família Mineira
Fondue no Clube Chalezinho
Sukiyaki no Sukiyaki House

, , , , , ,

10 Comentários

L’Entrecôte de Ma Tante x L’Entrecôte de Paris

Depois de experimentar o entrecôte da tia do Olivier, a gente tinha que tirar a prova dos 9 e conhecer o L’Entrecôte de Paris.
A diferença já começa no ambiente, mais tradicional e românteco que o L’Entrecôte de Ma Tante, que é mais moderninho.

Sobre a comida:
A salada de folhas com nozes é boa, mas achei que tinha excesso de molho.
O entrecôte estava bem gostoso e, assim como no restaurante ‘rival’, o ponto da carne é marcado no papel da mesa. O legal é que, aqui, uma parte do entrecôte vem no prato e a outra fica quentinha no réchaud, esperando ser devorada.
A batata do Olivier é melhor, sem dúvida. As fritas são mais sequinhas e crocantes, apesar de que, mesmo murchinhas, repetimos as fritas do Paris umas 2x.
O atendimento aqui foi mais atencioso. Fomos perguntados com relação à comida algumas vezes. Depois que acabamos a carne, a atendente nos ofereceu mais molho para molharmos as batatas.
Segundo o cardápio, o molho secreto da carne leva 21 ingredientes, passa por 4 processos de cozimento e seu preparo consome 36h! Bom, eu só sei que achei esse molho mais suave que o do Olivier.
De sobremesa, claro, tínhamos que pedir a mousse de chocolate para comparação completa. A sobremesa é boa, mas acho que não bate a do Olivier. E não, eles não trazem a mousse num BALDE! Que pena.

Resumão do Tô com fome:
Preço do prato: Paris, R$ 37,90 (contra R$ 47 da Tia, quando visitamos)
Salada: não chamaram a atenção
Fritas: Ma Tante
Carne: as duas, mas pelas etapas, a do de Paris
Mousse: Ma Tante
Atendimento: Paris

L’Entrecôte de ParisR. Pedroso Alvarenga, 1135 – Itaim

Outras sugestões francesas:
De volta! E com o Le French Bazar!
Bistrô do Robin Hood
Comemoração com um toque francês

, , , , , ,

6 Comentários

L’Entrecôte de Ma Tante: Tia de um prato só

L’Entrecôte de Ma Tante é um bistro fofo onde só existe UMA opção de prato principal. Dizem que restaurantes de um prato só, são populares em Paris. Aqui não é pop, mas como o dono do bistro é o padeiro-estrela Olivier Anquier, o restaurante ficou famoso por servir PF chique com o molho da tia por 47,00 dinheiros.

A única decisão a ser tomada em relação ao prato principal é o ponto da carne, que o garçom anota no papel que cobre a mesa. Um pouco de simplicidade num ambiente quase fresco.

De entrada, pãezinhos e uma salada verde com nozes, que já está embutido no preço. Eu adoro nozes, mas mesmo assim achei simplão demais. Muita folha verde regado com molho à base de mostarda fica meio sem graça.

Agora vamos ao bife da tia:

Eu pedi o ponto da minha carne mal passada, mas acho que veio sangrando demais, principalmente pq o garçom havia me dito que era só rosado. Mas tudo bem, eu amo carne sangraninho então nem reclamei. Acompanhando o entrecote, as batatinhas fritas fininhas e mega-crocantes. Essas você pode repetir à vontade. Mas não consegui terminar nem a 1a leva. A Jussum chegou a pedir um repetecozinho de batata que eu vi. Gordenha. huahuauha. A carne era macia, o molho de ervas bem temperado, tudo gostoso, ponto final. Nada supreendente. Para uma casa que serve um prato só, a minha expectativa era maior. Se eu comesse o mesmo prato num restaurante pagando R$20,00 talvez teria sido mais feliz.

De sobremesa, resolvemos pedir o famoso mousse de chocolate (R$ 12,50). Que nos surpreendeu. Muito bom, leve, no ponto certo e numa porção generosa. O garçom leva uma travessa enorme na mesa e te serve a quantidade que você quiser (obviamente, dentro do limite do bom senso).

Nessa noite o OliviÊ não apareceu por lá não. Mas o atendimento não deixou de ser simpático e atencioso na medida certa. Eu acho que é um bom lugar pra ir a dois. É fofo e chiquezinho, mas como tem só uma opção de prato, não corre o risco do respectivo pedir uma lagosta e você ter que bancar. hehehe. A conta sai por volta de R$65,00 cada um, sem pedir vinho, obviamente.

Endereço: R. Doutor Mário Ferraz, 17. Esquina com a Tucumã – Itaim Bibi.

Mais bistrôs:

Le French Bazar!
Robin des Bois
B&B Burguer & Bistrot
Blú Bistrô

, , , , , , ,

12 Comentários

De volta! E com o Le French Bazar!

No sábado passado, conhecemos o Le French Bazar, um bistrôzinho simpático em Pinheiros. Chegamos ao restaurante às 22h30 e esperamos uns 40 minutos para sentar!
O lugar é bem charmosinho: pequeno, barulhento, apertadinho, com mesinhas próximas.
Estávamos roxos de fome, então aceitamos o couvert (R$ 7,50 por pessoa) com pãezinhos acompanhados de patês de berinjela (bem bom) e de queijo (cabra?), além de manteiga.
O cardápio é enxuto e, mesmo assim, bate uma dúvida do que pedir pq muita coisa parece boa. O interessante é que cada prato vem acompanhado de uma sugestão de vinho (uma taça de Carmenère-não-lembro-qual sai R$ 21,00).
De entrada, fomos de Camembert quente em crosta crocante de mel trufado sob ninho de verdes (ok, salada), figos frescos e amêndoas torradas (ufs, cansei, R$ 26). Gostosinho, mas pequeno, haha. Esse pedido chegou bem rápido, ao contrário dos pratos principais.
Arnaldo foi de Coxa de pato confit ao mel de vinho do porto com risoto de grãos e cogumelos grelhados (R$ 48,00) e eu pedi Filé coberto de pistache ao molho bordelaise com batatas boulanger e manteiga de trufas (R$ 41,00). Gostei bastante. A carne veio no ponto pedido e as batatas (em lâminas, empilhadas e gratinadas) estavam ótimas! Gostei tb do risoto que acompanhava o pato.
Não é um lugar extremamente barato, mas a comida é boa e bem feita.
O atendimento é bom e o chef é bastante presente, sempre andando pra lá e pra cá.
Lugar simpático para ir a dois e sem pressa (e sem muita fome tb pq talvez vc tenha que esperar muito). O negócio é ir para curtir, conversar, comer bem, conversar mais um pouquinho, namorar.

Le French BazarR. Fradique Coutinho, 179 – Pinheiros

Mais da França:
Eau de toilette
Descobrindo Perdizes 3 – Tudo Blú
Ratatouille
Bistrô do Robin Hood
Comemoração com um toque francês
Dîner à Paris (ui que chique)

, , , , ,

2 Comentários

Bistrô do Robin Hood

Na noite do meu aniversário, Arnaldo e eu fomos ao Robin des Bois ou, Robin Hood, em francês. O bistrô é bem bonitinho, fica meio escondido em uma rua de Pinheiros. O ambiente é escurinho, charmOUso, cheio de anúncios publicitários antigos nas paredes.
Por um milagre, como não estávamos com muita fome (afinal, o almoço havia sido no ), deu para dividir entrada, salada e prato principal (as porções são individuais).
Para começar, pedimos algo SUPER francês, pasteizinhos de carne seca (R$ 14,00), uma das sugestões do cardápio naquele dia. Bom, achei gorduroso além da conta.
A salada, bem, a salada foi o que me conquistou. Folhas, queijo brie e molho de mel e mostarda (R$ 19,00). Simples, né? Mas adorei. Acho que o brie deve combinar com coisas doces. Aliás, descobri que adoro queijo brie, virou aquela comida que ‘eu poderia viver disso’, tipo palmito, sabe?
O prato principal foi Medalhão Dijon (R$ 37,00), com risoto de shimeji e shitake e molho de mostarda Dijon. Gostei, mas não achei nada incrível e a carne não estava maciiia.
O atendimento é muito bom, não tenho do que reclamar.
Quero voltar, aliás, só a salada e a sobremesa que deixei de comer naquele dia já me fariam voltar! Tem suflê de chocolate, hmm!

Post atualizado em 31/10/09: voltei ao local mais rápido do que pensei e, para a minha surpresa, tiraram a salada E o suflê do cardápio, haha. Deus, sou muito cagada mesmo. Bom, como sugestão, pedi para que voltassem com a salada pelo menos. Poxa, os 2 motivos pelos quais voltaria ao Robin se foram… buá.

Robin des BoisR. Capote Valente, 86 – Pinheiros

Outros francesinhos simpáticos:
The Salad Bar
L’aperô
Mercearia do Francês
Deli Paris

, , , , , ,

1 comentário

Mais salada: The Salad Bar

Mais um restaurante no estilo desse, desse e desse aqui em que vc monta sua salada ou sanduíche: o The Salad Bar. As diferenças, nesse caso, estão no lugar em si, um casarão antigo bem bonito, e na influência, dizem, francesa.
Por R$ 19,90, vc pode escolher uma das sugestões da casa ou, ainda, montar sua salada ou sanduíche com até 5 ingredientes. Mais divertido, né? Dessa vez, pedi um sanduíche no pão ciabatta e adicionei frango, pasta de azeitona, algum queijo (do qual não me lembro mais) e shitake. Achei meio sem gracinha. Faltou um tempero, sei lá. Pensei que a pasta de azeitonas ia dar um jeito, mas nem. Talvez a opção de salada fosse mais acertada.
O cardápio oferece, ainda, sopas, risotos, massas etc.
Lugar legal para uma refeição rápida e saudável. Bom para ir com as amigas ou a dois, pelo ambiente agradável.

The Salad BarAl. Jaú, 1372 – Jardins

Mais saladas boas:
L’aperô
Santa Terra
Nonno Paolo

, , , , ,

2 Comentários

%d blogueiros gostam disto: