Arquivo para categoria Jardim Paulista

Paris 6: Bistrô dos ricos e famosos

Vocês já devem ter ouvido falar do Paris 6. Bistrôzinho fofo/descoladex, com decoração que reproduz um pedacinho do charme de Paris (Pelo menos o que imagino que seja), no meio do agito do Jardins. Bastante frequentado por riquinhos e famosos, tanto que até no cardápio, os pratos levam nomes de artistas “pop” atuais. Ideal para ir com poucos amigos, ou de casal.

Dispensamos couvert e entradas e fomos direto pro prato principal.
Eu, que tenho uma obsessão por comida crua, não posso ver no cardápio um steak tartare e não pedir. Só que dessa vez pedi um que era selado, não totalmente cru, acompanhado de batatas fritas. Achei o sabor bom, melhor do que o que provei no Le Jazz, mas ainda prefiro a versão “não-selada”. E quer saber? Sempre acho pouca comida. Não tem jeito, sempre peço essas comidinhas sem “sustânça” e fico com fome!

A Jussa pediu um prato com carne e batata gratinada, que também não tinha nada de especial. Tanto que ela nem lembra mais disso!

De sobremesa, fomos de suflê e torta de chocolate. A torta era tão doce, que dava dor de cabeça. Para quem é muito chocólatra, seria sensacional. Pra mim, foi quase sofrido.

Como a casa é 24 horas, dá pra passar lá e matar a fome pós-balada. Se bem que no meu caso, não existe nada melhor do que um Mc Donald’s na madrugada. Jamais conseguiria descer um steak tartare pós-alcool!

Preços:
Refrigerantes por volta de R$ 6,00
Pratos por volta de R$ 45,00
Sobremesas por volta de R$19:00

Qto deu por cabeça? R$ 80,00.

Bottom line; O lugar é simpático e gostosinho, mas acho que não vale o preço.

Ps: As fotos estavam tão péssimas, que resolvi nem postar. Lugar escuro + camera de celular = FAIL.

Outros bistrôs:

Le French Bazar
L’Entrecôte de Ma Tante
Robin des Bois

, ,

5 Comentários

Kiichi, rodízio japonês

Sempre que eu passava em frente ao Kiichi do Jardins ficava com vontade de ir. Mesmo sabendo que restaurante japonês + decoração moderninha + rodízio = Comida fraca e invenções abrasileiradas, eu fui.

Sábado, casa cheia. Quis sentar no andar de cima, mas o único lugar disponível era uma mesa ao lado da cozinha. Já fiquei meio decepcionada e pedi 2x para avisarem quando vagar alguma outra mesa, mas nunca lembraram disso. Passamos a noite na mesa ruim.

Fomos de rodízio (R$ 39,50) e começamos com shimeji na chapa. Exageraram um pouco no sal, mas estava OK. Porçãozinha de gyoza na versão pastel, que eu odeio. Sabe, quando é inteiro frito e não na chapa? Harumaki também nada surpreendente.

Pedi um temaki de atum, que chegou com o peixe bem moído. Prefiro pedaços mais consistentes de atum. Depois veio aquele bandejão de sushis e sahimis que eu tenho um pouco de pavor. Sempre existe alguma invenção sem pé nem cabeça, mas no caso do Kiichi até que não tinha nada muito esdrúxulo. O sashimi estava com um corte bom pra um rodízio, mas estava meio quente. Gosto de peixe mais geladinho. Experimentei um pouquinho de tudo e nem me animei de pedir alguma repetição.

No fim, o maior problema nem foi a comida e sim o atendimento. Demoram mil anos para te atender, quando você faz o pedido ele esquece, ou vem errado. Pedimos missoshiro e nunca chegou. Eles não informam todos os itens que vem no rodízio, não foi entregue nenhum papel com as opções. Só vi isso no fim, qdo descobri que tinha ceviche no rodízio, que nem sequer ofereceram.

Bottom line, Kiichi #FAIL. Se custasse metade do preço, ou se fosse almoço (Sou mais tolerante com almoços), eu teria achado menos mal.

Endereço: Alameda Lorena, 138 – Jardins

, , , ,

20 Comentários

Fondue de sorvete Häagen-Dazs

Dia desses, Estelis e eu decidimos que nosso jantar seria sorvete, mais precisamente o fondue (ou ‘A’ fondue?) de sorvete da Häagen-Dazs. Lá fomos nós, cheias de expectativas, à loja da Oscar Freire, única que serve o fondue em SP. 
Bom, nosso ‘jantar’ foi bem românteco, com direito a baby Chandon e tudo (alguma promoção da qual não me lembro).
O fondue vem com 16 mini bolas de sorvete, nos sabores Cookies & Cream, Chocolate Belga, Vanilla e Morango. Parece muito né? Mas, veja bem, são mini-mini-mini bolas. Além disso, vieram frutas diversas (kiwi, abacaxi, banana, maçã), mini cookies, pedaços de brownie e farofa. Senti falta de morango, a fruta mais básica do fondue. Bom, a única fruta que ‘ornou’ foi a banana, na minha opinião. Pô, nem uma uvinha…
Olha, não tem como ser ruim, mas eu não saí satisfeita. Achei que não vale a pena. É caro demais (R$ 72,00) pra coisa de menos. Tudo bem, não é todo mundo que faz disso uma refeição, mas, sei lá, não convenceu.
O chocolate estava bem gostoso, não era muito doce (apesar de que a combinação com cookie doía a garganta) e até rolou um desespero final em comê-lo puro.
Enfim, foi legal para conhecer, mas não fomos muito felizes. Depois, ainda passamos no Fifties para, aí sim, encher a barriga.

Pelo menos, depois desse post, aprendi a escrever Häagen-Dazs.

Häagen-Dazs – R. Oscar Freire, 900 – Jardim Paulista

Sorveterias das boas:
Alaska
Vipiteno
Cremeria Nestlé

, , , ,

9 Comentários

Shintori no Restaurant Week 2010

E finalmente fui ao Shintori. Até semana passada eles ainda estavam servindo o menu Restaurant Week e resolvemos aproveitar.
O lugar é bem bonito, mas você fica com uma sensação de que os tempos aureos do restaurante já passaram. Lembra um pouco um hotel meio antigo. Mas enfim… Ainda dá uma impressionada.
O serviço é impecável, exatamente o que se espera de um local japonês tão tradicional.

De entrada, pedi a salada japonesa com macarrão transparente e frutos do mar. Fora a apresentação bonitona, achei o sabor OK e nada memorável.

A Jussa pediu a salada mista que ela tanto ama por causa do molho. Achei gostoso e muito bem servido. Valeu bastante a pena.

Os meninos pediram beringela, que nada tinha de especial.

Pedi à parte um Dobin-Mushi (sopa de caldo de frango, camarao e sabor predominante de cogumelo) devido à propaganda que amigos japorongas fizeram. A sopa vem numa chaleirinha bem fofa e é gostosa. Mas sinceramente (sorry amigos japas), eu tomo a mesma sopa em casa. Minha mãe faz sopa praticamente dia sim dia não, seja inverno ou o verão de dubai. É praticamente o arroz e feijão da minha casa.

De prato principal, fui de menu degustação que vem um pouquinho de cada coisa. Achei bonitinho, mas fiquei bem decepcionada. Todas as friturinhas do prato vieram frias. Fritura fria p/ mim é o uó. Não dá. Até na padoca da esquina a coxinha é aquecida! de resto, nada surpreendente.

O filé de pirarucu tb estava normal. A Jussa achou um pouco seco/duro difícil de cortar. Mas tb… Não ruim nem bom. Nada memorável.

Pra mim, a sobremesa foi o ponto alto da noite. Pedimos o Bonsai: sorvete de creme com biscoito de chocolate. A apresentação é suuuuuper fofa, parecia um vaso com flor e estava bem gostosinha. Tudo bem, pensando friamente era um sorvete x com negresco. Mas considerando que naquela altura do campeonato a expectativa já estava bem baixa, a sobremesa surpreendeu. Mas o Samuel pediu a gelatina de leite de soja com calda de pitaia. A cara era feinha e pelo que ele falou, meio sem gosto. Nem vale a pena por a foto.

Bottom line: A expectativa era alta devido à fama do restaurante. Por ser um clássico japones que já existe há décadas, eu esperava muito mais. Obviamente eu sabia que seria mais “singelo” por ser menu RW, mas tb não achei que iria comer comida fria. Mas ainda ainda quero voltar pra experimentar os teppans mágicos (Leia esse post da Jussa) ou os cortes de sushi gordos.

Preços arredondados:
Menu RW: R$ 39,00
Dobin Mushi: 12,00
Sake importado: 20,00
Refri: 5,00
Café: 6,00.

Considerando + os 15% de serviço, a conta saiu quase R$ 70,00 por cabeça.

Endereço: Al. Campinas 600 – Jardins.

, , , , , ,

3 Comentários

St. Louis, the burguer joint

A lanchonete St. Louis é bem americaninha, pequena e decorada com objetos antigos. Mesas com toalha de piquenique xadrez e bancos de madeira ao invés de cadeiras. Tudo um charme e fofo, menos o banco, pq não dá pra ser feliz jogando papo fora sentada num lugar sem encosto.

O cardápio é extenso e eu sempre fico na dúvida do que pedir qdo existe mais que um item apimentado no cardápio. Acabei me optando pelo Tommy’s: Hamburguer com queijo prato, chili de carne, alface, tomate, picles e cebola. O lanche é alto, daqueles que você não consegue comer com a mão. Se bem que dependendo do seu skill, até dá. Eu optei pelo garfo e faca mesmo. E qdo o hamburguer vem alto assim, eu tb removo a parte de cima do pão e como só o resto. Senão eu explodo.

Bom, como sempre, eu peço as coisas apimentadas desejando um pouco de emoção nessa vida, mas normalmente não se sente nem o gosto da pimenta. Mas mesmo assim, gostei do meu pedido. Um pouco gordo demais, afinal, hamburguer + carne moída é um pouco over.

A Jussa pediu o Champ: Burguer com queijo suíço e cogumelos refogados. Ela sempre comenta que a carne é boa e que tem gosto de fumaça (isso é bom). Eu já não tenho um paladar apurado pra distinguir o modo de cozimento das carnes. Os lanches vêm acompanhados com um potinho de cole slaw, uma mini salada de repolho com cenoura, bem gostosinho.

Bottom line, não é de comer chorando, mas está longe de ser ruim. É um hamburguer gostoso e ponto. Meio que não tem erro. Indicadíssimo se você está nas redondezas.

Preços: Batata R$ 11,00 e hamburguer R$19,50. A média é sair pagando uns R$28,00 por cabeça.

Óia o babado antigo: Alguns anos atrás, fomos jantar lá e vimos o Dado Dolabella com a Luana Piovani!

Endereço: R. Batatais, 242 – Jardins

Mais burguers:

Joe & Leo’s: hambúrguer e esportes combinam?
B&B: Bom, bonito e… barato?
Engenharia do Hamburguer: Hambúrguer graduado
PJ Clarke’s: NY é logo ali, no Itaim
Hamburgueria Nacional: Melhor hamburguer de SP?

, , , , ,

2 Comentários

Ofner: opção pós-comilança

No dia que jantamos no Meu Sushi, como não saímos 100% satisfeitas, resolvemos fechar a noite na Ofner que era logo em frente. E no dia que fomos no St. Louis (ainda estamos devendo esse post) tb resolvemos passar na Ofner pra tomar um cafezinho. O problema é que qdo você entra lá, não tem como ficar só no café. Os doces acabam sendo irresistíveis.

No dia que eu e a Jussa estávamos numa vibe projeto verão pré-carnaval, resolvemos ser menos gordas e pedimos doces sem açucar:

Visualmente tudo é muito lindo, né? Mas foi tããão decepcionante. A bomba de chocolate foi a pior da minha vida. Não tinha gosto de nada e nem lembrava chocolate.

A Jussa foi de cheese cake e não foi muito feliz tb não:

No outro dia, já que passou o carnaval e o projeto verão 2011 pode começar bem mais pra frente, resolvemos pedir coisas gordas mesmo:

Fui de Mil Folhas: Massa folhada, com recheio de chantilly, e creme de baunilha. Estava bem bom, massa folhada sequinha. Adoro!

A Jussa pediu um Beijo de chocolate (hauhuauhauha): O doce é um Nhá Benta FAIL. O marshmallow de chocolate não tinha gosto de nada. Ela disse que até o Dan Top é melhor.

(essa foto peguei do site deles, pq a minha foto ficou… parecendo outra coisa. hihihi)

Os doces custam em torno de R$ 6,50. E o café por volta de R$ 4,50

A bomba de chocolate deles costuma ser incrível. Hum…. E na parte de salgados, a coxa creme tb costuma ser sensacional!
É uma opção OK para um cafézinho, principalmente pq algumas unidades são 24 horas com wi-fi.

Lojas Ofner que nós conhecemos e que funcionam 24 horas:

Alameda Campinas – Ambiente normal, falta um pouco de charme.
Endereço: Alameda Campinas, 1160 – Jardins

Moema – Mais simpático, com mesas no jardim.
Endereço: Av. Ibirapuera, 2033 – Moema

Dá pra fazer pedidos no site deles, com cobrança de taxa de conveniência ou frete!

Endereço de todas as lojas Ofner, aqui.

, , , , ,

2 Comentários

Meu Sushi: Sushi que é a sua cara

Logo que entrei no Meu Sushi, achei o lugar bem fofim. É moderninho, colorido, bonitinho. Total restaurante japonês para gaijins.
O restaurante segue o conceito de comida rápida e saudável. A idéia é que vc possa sair andando com seu bento (a marmita japa) na mão, mas a gente preferiu ficar no salão mesmo.
Lá, vc pode escolher entre os diversos combinados de sushis, de acordo com seu ‘estilo’ (Esporte, Veggie, Nada Cru e por aí vai), em 2 versões: individual (por volta de 15 sushis) e duplo (por volta de 30).
Se vc não curtir as sugestões da casa, pode montar sua combinação (R$ 37,00). Achei o esquema meio complicado. Poderia ter um papel em que vc pudesse ir marcando os sushis que quer, ao invés de ficar falando para o garçom ‘quero 3 disso, 2 daquilo’.
O atendimento é meio confuso. Nem o cara sabia responder às nossas perguntas e a moça fazia o tipo amiga-querida mala.
Quinze sushis podem parecer muita coisa, mas não se engane, eles são bem pequenos. Não há nenhum sushi anormal, só algumas invencionices, como o de shimeji.
A comida estava gostosa e bem feita, mas sem muitas surpresas.
Gostei do conceito e do lugar, mas achei caro para comer somente sushis, ainda mais se vc pensar que, por um pouco mais, dá para ir a um rodízio bonzão e comer de tudo.
Detalhe para os hashis que vêm em caixinhas. Muito simpático!
Tem pratos quentes tb, como yakisoba, soba, teppan; além de algumas entradas, como guioza, robatas, shimeji etc.

Meu SushiAl. Campinas, 1179 – Jardim Paulista

Mais japas:
Flying Sushi, o Japonês Injustiçado
Carê house acabou, mas ainda temos o Pub Kei
Teishoku, onegai shimasu!
Yamaga, japonês tradicional na Liba

, , , , , ,

5 Comentários

%d blogueiros gostam disto: