Arquivo para categoria Liberdade

Sukiya: Fast Food japonês

Meses atrás fomos lá conhecer o Sukiya, mas devido à minha falta de foco, o post tá saindo só agora.

O Sukiya é uma rede de fast-food do Japão. E essa unidade aberta na Liberdade em março desse ano foi o 1o da rede localizada fora do Japão. Por causa disso, no mês da sua inauguração só se ouvia falar deles na colônia japa.

O ambiente é limpo e bem iluminado, bem cara de lugar pra comer e sair andando. Dá pra comer num balcãozinho, mas existem também muitas mesas. É confortável, mas não a ponto de você querer ficar lá a noite inteira batendo papo.

A casa é especializada em Gyu-don (arroz com carne) e curry, que são pratos populares no dia-a-dia dos japinhas. Nessa altura do campeonato, vocês já devem saber que os japoneses não vivem de pêxe cru diariamente, né? Então não vá aparecer no restaurante esperando comer um sushizinho, pq não tem!

Nós pedimos 2 pratos pequenos pra provar (R$ 6,00). Um com Gyu-don e outro de curry. Fato esquisito foi que chegou no prato. Onde já se viu comer com hashi num prato? Esquisito. Outro problema foi o Curry ter vindo com feijão, para se adaptar ao paladar do brasileiro!!! Eu até entendo a iniciativa, mas custava então deixar uma opção sem feijão para os que não querem a versão abrasileirada do carê? No fim das contas, o sabor era OK.

Pedi também o Tonjiru, uma sopinha de carne de porco. Bem gostosinho, com sabor forte. Pode não agradar aos menos aventureiros.

Pedi também uma porçãozinha de frango frito e de Kimchi. Gostosinho, mas nada impressionante. As porçõezinhas giravam em torno de 3 reais.

Conclusão: É um PF japonês. Só vale a pena se você trabalha por perto ou está passando por ali e quer um lugar pra comer que seja rápido e barato.

Ps: Na época eles não tinham estacionamento, o esquema foi parar o carro no Mc Donalds na migué.

Endereço: Rua Vergueiro, 72 – Liberdade

Anúncios

, , , , , ,

11 Comentários

Dia das mães no Issao

Resolvemos jantar no Issao para comemorar o dia das mães pq eu estava na nóia de comida japonesa, e a minha mãe não tinha preferencia alguma. Sendo assim, fomos para o Issao.

Chegamos por volta das 18:30 e já estava cheio! Eu já sabia que o lugar é mega famoso, mas não é exatamente um lugar bonito e fofo para jantar de dia das mães, então eu não achei que iria ser assim tão concorrido. O ambiente é similiar a tantos outros restaurantes da liberdade. Pequeno e simples. Mesas apertadas, pouca privacidade. Forma-se uma fila para se servir no buffet, e tenho que dizer que isso me irritou razoavelmente. Já tenho que ficar em pé, ainda tenho que ficar apertada? Meio mala.

E a comida? Bom… Melhor que os demais japas rodizios por aí… Mas nada impressionante tb. Para os que só gostam de pratos quentes, as opções são poucas e não compensa. Passei a noite me empaturrando de ostras frescas, sushis de ovas de peixe, ovas de ouriço, e pêxe cru. O pouco de fritura (camarões, verduras, caranguejo) que comi tb estava muito bom.

De sobremesa, já incluso no valor do rodízio, frutas, pudim normal e pudim de chá verde. Normal, nada especial.

Agora o preço no Issao é que pega… O rodizio no fim-de-semana e feriado sai por R$59,00 por cabeça. Almoço sai uns 48,00 e jantar de dia de semana 52,00. No fim a conta por cabeça saiu R$70,00. Não é barato… Se vale a pena? Até que sim… Mas eu não faço questão de voltar pq o lance de ficar na fila não é pra mim. Me lembra dia de semana, almoço por kilo perto do trabalho.

Endereço: R. da Glória, 111, 2º andar (AKA Food Center) – Liberdade

Mais restaurantes no Food Center:

O Maravilhoooooso mundo da comida japa II, o Ueda
O Maravilhoooooso mundo da comida japa (Sukiyaki House)

, , , , ,

1 comentário

Hinodê, um japa sem surpresas

Num domingo de indecisão sobre onde comer na Liberdade, fomos parar no Hinodê. A casa é bem tradicional e possui decoração bem japinha. Nada especial, mas acho que é pq estamos já meio acostumados com esse mundo japa da liberdade. O local possui até salas privadas com tatame, mas p/ sentar lá custava 10 reais a mais. Resolvemos ficar pelo salão mesmo, que estava vazio.

Para 4 pessoas, pedimos 2 Teishokus, que é um PF combinadão de entradinhas, pratos frios (Sashimis) e pratos quentes (tempurá, peixe grelhado, etc). Tudo em porçõezinhas pequenas, mas com bastante variedade! Serviu bem e saímos satisfeitos. Cada combinado que dá pra 2 pessoas custa por volta de R$ 70,00.

Teishoku hinode

Hum… Adoro esse nabo em conserva amarelo-radioativo.

Não tem muito o que falar. A conta por cabeça no final saiu R$ 50,00. Não é muito barato, mas é um japa default bom, tranquilo e sem surpresas.

Endereço: R. Tomás Gonzaga, 62 – Liberdade

Demais restaurantes da mesma rua:

Teishoku, onegai shimasu!
Yamaga, japonês tradicional na Liba
Mais lamen!
Porque não o Porque Sim?
Chinês Top 1 2008, até o momento.

, , ,

1 comentário

Encontrinho dos amigos gordos no Jardim Meio Hectare

Semana passada fizemos um encontrinho dos blogs gordos. A gente não conhecia Batata e Pepino e nem Comidinhas bacaninhas ao vivo.
E como o Bitchori, é o amigo do mundo real em comum dos blogs, resolvemos combinar esse blind date dos blogs.
Contamos tb com a presença da @ayagui e os 2 non-bloggers @clauk e Feijão.
O restaurante escolhido foi o restaurante chines Jardim Meio Hectare, um chinês pedreiro na liberdade, que a gente até já postou uma vez:
Eu ainda gosto de lá, mas já passou um pouco o encanto. Mas foi bom, pq estávamos em 11 pessoas, então deu pra pedir vááários pratos diferentes! A Batata já fez o post lá no blog deles. Confira aqui!

, , ,

7 Comentários

O Maravilhoooooso mundo da comida japa II, o Ueda

Semana passada resolvemos fazer um encontro menininha e resolvemos jantar na liberdade, mais precisamente lá no food center (Pra mim o nome era food court, mas todo mundo dá risada, então tá!). O Food center é um prédio na Liberdade onde 2 andares são povoados por restaurantes japoneses tradicionais.
E como somos muito “fabulosas”, acabamos entrando no Restaurante Ueda. Eu já tinha ido lá a alguns anos atrás e não tinha gostado muito. E dessa vez achei bom. Acho que os anos passam e ficamos cada vez menos exigentes? (Triste, até pra comer tem que baixar a régua! huaheuha).

O local é meio antigo, bem básico, luxo e glamour zero. Nós que somos muito fofas e ricas, sentamos e já pedimos uma cerveja, que veio quente. Na segunda garrafa pedimos pro garçom achar uma gelada “qualquer marca serve”, e mesmo assim não veio tão gelada. Bebemos anyway.

Cardápio pedreiro

Cardápio pedreiro

Pra comer funciona no mesmo esquema do Restaurante coreano Kognara que já escrevi aqui ó. Grelhas no meio da mesa, você pede os ingredientes e vai cozinhando você mesmo. A lista é razoavelmente grande e o esquema é pedir um montão de coisas de uma vez, ir cozinhando aos poucos e ir comendo. Para 4 pessoas que comem bem, recomendo umas 3 porcões de carne e 2 de legumes. Dependendo da carne que você pede, já vem de acompanhamento uma porçãozinha mista de legumes. Boa notícia para os gordinhos: O arroz é à vontade e o missoshiro também.

IMG_1001

Experimentei quiabo dessa vez. Por incrível que pareça eu achei gostosinho. E não se deixe enganar pelo item “Pimenta doce” no cardápio. Pedi pra ver qual era, achando que viria uma pimentinha boa, e veio pimentão. Sad.
As porções de carne custam R$10,00 e os de legumes R$ 1,50. Baratenho. Nossa conta saiu uns R$ 20,00 pra cada uma.

Eu sou super fã de comidinha assim, mas 90% das meninas normalmente reclamam do cheiro que fica impregnado na roupa. Então já sabe… Date lá, só se você já conhece muito bem a mina. Senão recomendo somente para família ou encontro de amigos pedreiros ogros da floresta.

Achei até um vídeo na internet, pra vocês verem a cara do lugar: https://qik.com/video/1361539

Endereço: Rua Glória, 111 – 2° Andar – Liberdade.

Outro restaurante do Food Center:
O Maravilhoooooso mundo da comida japa!

, , , , , ,

9 Comentários

Rong He, o chinês mestre das massas

Fazia tempo que eu estava prometendo uma ida ao Rong He com a Jussa e finalmente saiu!

Eu sou uma chinesa meio fajuta. Não sou muito fã de arroz, mas gosto de praticamente todos os pratos de massa chinesas. Então quando abriu o Rong He, eu fiquei bem feliz e passei a frequentar a casa quase que a cada 15 dias. Agora já passou um pouco o encanto, mas não deixa de ser bom. Os pratos servidos lá normalmente não são servidos nos demais restaurantes chineses aqui de SP, que podem ter um ou outro prato, mas nunca tanta opção de massas, concentrada assim num só lugar.

Tirando o Chi-Fu, ele deve ser um dos restaurantes mais populares entre os non-chinas. A grande sacada da casa é que eles colocaram um Chef chinês na vitrine fazendo demonstração da arte milenar do macarrão. E isso rendeu um milhão de matérias, posts em blogs, etc. E realmente é legalzinho, ainda mais para as crianças. Os pequeninos adoram e ficam colados no vidro assistindo o moço. Ele que não deve ser a pessoa mais feliz do mundo.

O macarrão que é feito na hora pelo mestre da virtrine, não é exatamente meu prato predileto. Eu não sou fã de macarrão gordinho e também a maioria dos pratos com o macarrão são aqueles ensopados, tipo um udon japonês, mas com outros ingredientes. Ou então, você pode pedir o yakissoba, que já me disseram que é muito bom, mas eu me recuso a pedir yakissoba num restaurante. Mas se você gosta, vai em frente. O legal é que o macarrão é meio infinito, então junto com o prato, eles trazem uma tesoura para você ir cortando o macarrãozinho na hora de se servir.

Agora vamos ao nosso pedido!

Entrada: Porçãozinha de alga com leguminhos, temperado com alho e shoyu. Muito bom e custa R$ 7,00.

IMG_0984

Gyoza: A porção custa R$ 14,00 e tem a opção de carne bovina ou suína (que é melhor). Ah, se você está esperando um gyoza daqueles bem fritos que parece até um pastel, não vá. Lá ele é cozido e depois frito na chapa, só o fundinho.

IMG_0985

Trouxinhas a vapor: A massa é bem fininha e os recheios são variados. Alguns são de arroz com carne, alguns só de carne ou de camarão. Nós pedimos 1 porção de camarão e outra de carne suína. Cada porção também custa por volta de R$ 14,00.

IMG_0988

Pizza recheada com carne bovina: Ok, esse nome é meio esquisito, mas acho que é como estava escrito no cardápio. É o meu prato preferido disparado do restaurante e talvez esteja entre os top 10 massas da vida! A massa é meio sequinha, até lembra um pouco esfiha, mas ele vem com gergelim. O recheio de carne é temperadinho e bem gostoso. Nham, me deu até fome. Preço? Também uns R$ 14,00.

IMG_0991

E pra fechar, de sobremesa pedimos macarrãozinho bem fininho frito com gergelim, e você polvilha açucar, canela e mel em cima. Muito bom, mas nada impressionante. Eu nunca tinha visto esse doce na minha vida.

IMG_0994

Bom, estávamos em 4 pessoas e foi meio over de comida, mas mesmo assim comemos tudo e saímos de lá rolando. Saiu R$ 28,00 por cabeça. Baratinho né? Mas isso é até meio caro em restaurante chinês. Normalmente a média é uns R$ 20,00 por cabeça. O segredo p/ comer bem e sair feliz de um restaurante chinês é a qtde de amigos que você tem. Qto mais gente, mais opções diferentes você pode pedir e mais barato ficará. Afinal de contas, em restaurante chinês você nunca pede um prato só p/ você. É tudo na base no sharing no centro da mesa.

O atendimento é feito por brasileiros, então não fique com aquele medo dos chineses que não falam português e que são nada simpáticos. O lugar é simples, mas é bonitinho e limpinho. Não se esqueça de levar dinheiro. Cartões, somente o visaelectron. Nem cheque eles aceitam.

Curiosidade: O Arnaldis, namorado da Jussum, teve um surto alérgico a sabe deus o quê e passou o dia seguinte inteiro se coçando. heheheh. Nós 3 não tivemos nada.
Ah! E parece que no fds o cardápio sofre um acréscimo de x porcento (não lembro)! Sensacionais os chineisinhos. huahuahua

Endereço: Rua da Glória, 622-A – Liberdade.

Mais restaurantes chineses na liberdade:
Chi… Fu!Chi Fu Grandão!
Chinês Top 1 2008, até o momento.
Chines limpo, bonito e barato! Existe!
Chineses: Chique VS Chique

, , , , , , , , ,

9 Comentários

Hey-Song, refrigerante de Sarsaparilla

sarsaparillaDesde criança, meus pais compravam de umas importadoras/mercearias chinesas o refrigerante chinês chamado Hey Song Sa Sì, e a gente simplesmente adora. A maioria dos descendentes de Taiwaneses conhecem. Tem até comunidade no Orkut!

Nunca cheguei a questionar do que era feito o refrigerante e só hoje me bateu a curiosidade. Na lata “globalizada” está escrito Hey-Song Sarsaparilla. What the hell is Sarsaparilla? Google! Mas mesmo assim eu não entendi. É alguma planta/erva/whatever. É o refrigerante nacional mais antigo de Taiwan, criado em 1925.

Ele é quase tão doce quanto a coca-cola, mas o gosto não lembra nada do que eu já tenha provado em bebidas ocidentais. E há quem diga que esse refri com sal cura gripe (provei 1x, não lembro se deu certo)! Ele é bem diferente, mas é MUITO bom! Experimente!

Onde comprar: Mercearias chinesas da liberdade. Ou até mesmo no Marukai deve ter.

Preço: Por volta de R$3,00. Ela normalmente é um pouco mais cara que os refrigerantes nacionais.

Assista o comercial do refrigerante!

, , , , ,

2 Comentários

%d blogueiros gostam disto: