Posts Marcados lamen

Lamen Kazu – Macarrãozinho japa

Pra mim Lamen é confort food. Nunca será uma super experiência gastronômica, mas também sei que nunca vou me decepcionar. Agora no inverninho então, Lamen é vida!

E os lugares mais concorridos pra comer um bom Lamen é no Aska (Ainda devo um post) e o Lamen kazu. A Jussa já foi no Lamen Kazu e escreveu um post aqui. Mas resolvi fazer um post complementar da casa.

Existem 3 opções de tempero do caldo: Shoyu, Misso ou Shio. O que eu menos gosto é do Misso, pq normalmente eu gosto de caldos mais suaves, menos encorpados. Mas, acabei pedindo o Kara Misso, pq era o unico Lamen apimentado da casa (No fim nem estava tãaao apimentado).

Tijelona de Lamen:

Gosto bastante de lá. A comida é boa, o atendimento é OK. Só tive um problema q foi com a breja quente.
E como a Jussa já havia comentado, não dá pra ficar lá batendo papo a toa. É comer e liberar o lugar pro próximo!

Gasto aproximado por pessoa: R$ 35,00

Lamen Kazu – R. Thomaz Gonzaga, 51 – Liberdade

Anúncios

, , , ,

10 Comentários

Dicas de inverno

O frio realmente se instalou (nossa, demorou pra notar, hein?). Quer dizer, em SP faz frio, calor, depois chove. Daí que o TÔ COM FOME separou algumas dicas que combinam com o inverno e ajudam a enfrentar o friozinho de maneira muito mais agradável: com a barriga cheia.

Sukiyaki do Sukiyaki House
Fondue no Platz e no BarBolla
Chá no Khan el Khalili
Hot pot do China Lake
Lámen do Lamen Kazu
Churrasco coreano no Korea House e no BiCol
Soba do Sobaria
Pratos com curry no Thaï GardensGanesh e Govinda

, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Teishoku, onegai shimasu!

Hoje fui à Liba fazer uma comprinha e aproveitei para comer uma comida japonesa. Fui pela segunda vez no Itidai, mais um dos restaurantes tradicionais e não tão modernos do bairro, como o Yamaga.

Itidai TeishokuA dica são os teishokus, combinados que misturam pratos quentes e frios. Ótimo para quem quer variedade e não quer se matar de comer num rodózio. Eles têm uma lista grande de opções, que variam de 25 a 30 e pouco reais. Pedi o basicão teishoku box (R$25). Vem com missoshiro, 7 fatias de sashimi, anchova grelhada, tempurá, arroz branco e legumes em conserva. Tudo muito bom. Você realmente sai satisfeito, ao contrário dos teishokus migué dos shoppings (e pelo mesmo preço).

De novo. O ambiente não é moderno. Tem cara de tradicional e velho, porém clean. Por isso mesmo que gosto de lá. Fico imaginando que os restaurantes no Japão devem ser assim. E ainda mais que toca de fundo uma música japonesa antiga! Tem dois tatames para os grupos. O atendimento é bem simpático.

Total da conta foi R$32. Também existem opções de lamen (já experimentei e é bom), sushis, sashimis e rodízio.

Endereço: Rua Tomáz Gonzaga, 70 – Liberdade – Tel: 3207 3975

Outros restaurantes japoneses na Tomáz Gonzaga:

Yamaga, japonês tradicional na Liba
Mais lamen!
Porque não o Porque Sim?

, , , , , , , ,

2 Comentários

Mimatsu muda e vira New Mimatsu!

O restaurante Mimatsu na liberdade era um daqueles lugares que a comida era boa, mas a casa era tão feinha, os móveis tão antigos que dava a impressão de ser meio sujo. Aí, consequentemente, a nossa frequência no restaurante não era muito constante. 

No fim de semana passado, para minha surpresa, o restaurante mudou para a casa vizinha e nada além da comida te lembra o lugar pequenino e escuro do passado. O salão ficou amplo, móveis novos, e casa cheia! E o nome virou New Mimatsu.

Recomendadíssimo! Agora ficou bom, bonito e barato!
Leia o nosso post anterior para saber sobre a comida: Japa Ogro da Floresta (que agora não é mais ogro).

Endereço: R. Galvão Bueno, 475 – Liberdade

, , , , , , , , , , , , , ,

1 comentário

Mais lamen!

Falando em lamen, recomendo o Lamen Kazu, na mesma rua do Porque Sim e do Sushi Yassu.
O lugar é pequeno (chegue cedo, enche rápido), arrumadinho, até que moderno para a região.
Lá, eu descobri que o lamen é, na verdade, de origem chinesa, mas se desenvolveu no Japão. E sim, o lamen do qual estou falando é parecido com o macarrão do miojo. Digo “parecido”, pq são iguais apenas na aparência. O lamen correto (pelo menos o servido no Lamen Kazu) é durinho e não aquela papa em que o miojo se transforma depois de 3 minutos.
Para começar, pedimos uma porção de guioza (5 ou 6 unidades, uns R$ 11,00, não lembro). Os pastéis são cozidos e passados na chapa. Massa fininha, mto boa. Problema é que veio com gosto de óleo.
São 3 tipos de caldo do lamen: a base de sal, shoyu ou misso (paste de soja). Pra mim, não havia dúvidas, misso na cabeça.
Fui de Misso Tyashu (com lombo cozido). Por R$ 25,00, chega uma tigelona de lamen, com lombo, broto de bambu, cebolinha, wakame e nori (algas). Achei tudo ótimo. Extremamente cheiroso! O lombo estava bom, mas gorduroso.
Para um lamen pode parecer caro (bom, é mesmo), mas os ingredientes são de ponta, tudo é fresco e feito com qualidade.
É comer e sair andando. Não dá para passar horas no local. É apertadinho e tem mta gente chegando.
Adorei e recomendo!

Lamen KazuR. Thomaz Gonzaga, 51 – Liberdade

, , ,

7 Comentários

Food Court da Ásia

Sábado bundante, fomos eu a Tel lá na Liberdade. Resolvemos experimentar o (não tão) novo fast food japa ao lado da padaria Itiriki, o Benkey Teppan House. Além do tradicional yakissoba, tem teppan yaki, katsu, udon, lamen, pizza coreana (?) etc.

CorredorNa entrada fica a cozinha com vidros em volta, como uma vitrine. Você chega e já vai ao caixa fazer o pedido. Depois tem que ficar esperando de pé no corredor estreito e cheio Vitrinede gente pra pegar a bandeja com a comida. O espaço com as mesas é minúsculo, tem que dividir com outras pessoas, senão não senta. E não é dos mais limpos, tem a galera que não leva embora a bandeja (teve gente que largou a tigela inteira de lamen e foi embora!). Resumindo, hardcore o negócio. Pra quem gosta de se sentir genuinamente na Ásia, relembra mesmo algum “food court” daquelas bandas (bom trabalho! haha).

ComidasA Tel pediu um mini yakissoba, pois ela tava na nóia de comer o macarrão frito sequinho, não do tipo que se prepara na panela junto com todos os ingredientes, mas com a massa e o “recheio” separados e depois junta na hora de servir. Mas bota mini nisso. Mais do tipo que engana a fome do que uma refeição completa. Eu fui de lamen. LamenO recheio era bom e foi legal ver o cozinheiro preparando, colocando os ingredientes um por um, com uma paciência de japonês (não que ele fosse, aliás não tinha nenhum trabalhando lá). Agora o macarrão tava burocrático (nunca fui fã de macarrão) e a sopa mais como uma água com gosto – não dava pra tomar. Pedimos também uma porção de 3 guiozas que não fez diferença em nossas vidas.

Concluindo, no geral não é muito bom, mas pelo preço não dá pra reclamar! Total deu R$25 com bebidas. MelonaOs pratos custam em torno de 10 reais, sendo 1 real mais barato nos dias de semana. É uma opção para os sábados bundantes, talvez depois de bater perna na Liba para quem não quer algo sofisticado. E opção de delivery também pra quem é da região. Tá, para não sermos injustos, ainda falta experimentar os outros pratos da casa, principalmente o teppan e o katsu. Pra terminar sem mágoas o passeio, tomamos um picolé de melão (Melona) na rua. Agora sei porque fazem fila pra comoprar no verão! Macio, sabor marcante sem ser muito doce. Mas coma rápido que o negócio derrete!

Endereço: Rua dos Estudantes 28 – Liberdade

A Ju já tinha ido! Leia também:

Gororobas orientais

, , , , , , , ,

3 Comentários

Japa Ogro da Floresta

Domingo, dia de coçação dos solteiros, nos reunimos pra comer gordamente (pra realmente continuar single) na liberdade. Depois de alguns contratempos, fomos parar no MIMATSU.

O local é meio antigo, pequeno, parece até um pouco sujo, tanto que eu ate zoei tinham colocado fronha nos assentos da cadeira, já que era um pano branco meio sujão.  (Leia o post pós-reforma do local) Mas tudo bem, a fome era grande e já rolava a lenda de que existiam as ostras empanadas mágicas e eu amo ostras.

Entender o cardápio é um pequeno desafio mesmo para descendentes de japas que estavam lá comigo. Os pratos estavam escritos em Japones e em Portugues tb. Sim, eu consigo ler, mas o que raios significa Sobá, RAIS, etc? Aí depois fui descobrir RAIS que é RICE de ARROZ. huahuauau. Sensacional.

Kaki Furai Pedimos as ostras mágicas. Acho que foram as melhores ostras empanadas que eu já comi em toda a minha vida. Sai mais ou menos R$ 20,00 a porção. 

Fomos meio ogros da floresta e pedimos comida até demais p/ somente 5 pessoas e tudo era bem servido. Gostei de todos os pratos, menos o Teppan, que é basicamente carne e legumes na chapa. Foi meio esquisito pq pedimos o MISTO, e realmente era beeeeeeem misto. Vinha ate umas batatas fritas em cima. Sabe deus pq. hauhuahaua.
Pedimos tb o Chawan Mushi (só fui descobrir que se escreve assim devido a uma rapida busca no google agora. Deus abencoe o tio Gugo), que é tipo um pudim/sopinha de ovo que eu adoro. Eles também tem os sushis e demais coisas frias que costumamos comer, mas não pedimos pq não era o foco.

A conta deu uns 30 reais por cabeça, mas só pq somos ogros da floresta sem noção e pedimos comida demais:

– Gyoza

Teppan Misto 
– Teppan Misto (carne/peixe/frutos do mar e legumes na chapa)

Tonkatsu 
– Tonkatsu (Milanesa)

– Carê lamen
– Kaki Furai (Ostras a milanesa)
– 4 Chawan Mushi (Pudim de ovo)

Tempura 
– Tempura Misto (Legumes/Camarão e etc empanados)

Tudo isso mais arroz, mishoshiru, e acompanhamentinhos.

Mas dá pra sair de lá satisfeito pagando uns 15 reais por pessoa fácil.
Adorei, quero voltar mais vezes mesmo sendo pedreiro.

Endereço: R. Galvão Bueno, 467 – Liberdade. Bem em frente ao ASKA.

Mais japoneses do mesmo estilo:
Mais lamen!
Porque não o Porque Sim?
Food Court da Ásia
O Maravilhoooooso mundo da comida japa!
Gororobas orientais
Quadrado mágico da Liberdade

, , , , , , , , , , , ,

2 Comentários

%d blogueiros gostam disto: